A presença de Maria na minha vida começou muito cedo. Anterior ao meu nascimento, na devoção de minha mãe e de minha madrinha, que sempre recorreram à intercessão de Nossa Senhora Aparecida (…) Descobri, então, mais uma face de Maria: Mãe do Sacerdote. Ela é a mãe de Jesus, Sumo Sacerdote, e de todos os seus ministros ordenados (diácono, padre e bispo), porque Jesus a entregou como mãe ao discípulo João. Todos somos chamados a sermos discípulos de Jesus e filhos de Maria, mas ela tem uma predileção aos sacerdotes.

Papa Francisco convocou o “Ano de São José” em comemoração aos 150 anos da proclamação deste santo, como Padroeiro da Igreja Universal. O ano será celebrado em toda a Igreja, a partir do dia da Bem-aventurada Virgem Imaculada, 08 de dezembro de 2021, até 08 de dezembro de 2022. Celebrando um ano especial, no qual todo fiel tenha possibilidade de empenhar-se com orações e boas obras, podendo reforçar cotidianamente a própria vida de fé no pleno cumprimento da vontade de Deus, sob o patrocínio deste augusto guardião.

Estamos no mês de setembro, para nós que habitamos o hemisfério sul do planeta, começamos a estação da Primavera. Embora vivamos as consequências do aquecimento global, com as indefinições das estações do ano, gostaria de começar nossa conversa amiga aproveitando daquilo que entendemos por estação da Primavera: estação das flores, do renascer, da beleza da natureza. Ao falar em flores, não podemos esquecer Maria, a Mãe de Jesus, como nos diz a canção que entoamos no Tempo Litúrgico do Advento: “Da cepa, brotou a rama, da rama, brotou a flor, da flor nasceu Maria, de Maria o Salvador”