Na Igreja sempre houve pelos séculos afora, abundantes testemunhas de Cristo. Ele continuou vivendo e andando através dessas testemunhas oculares no meio do povo. Por isso gostaria de apresentar um incansável sacerdote do século passado. Um ardoroso arauto na missionaridade, nos meios de comunicação e um grande influenciador de vocações, colaborando na formação seminarística como diretor espiritual do seminário de Alba, Itália, logo após sua ordenação sacerdotal.

Por mais um ano nos aproximamos do Tríduo Pascal, onde reviveremos o grande mistério da nossa fé: a Vida, Morte e Ressurreição do Filho de Deus, mistério presente no Sacramento admirável da Santa Missa. De fato, o καιρóς (kairós) de Deus no nosso κρóνος (kronos), ou seja, o momento oportuno de Deus em nosso tempo, possibilita-nos uma contemporaneidade a esse mistério, o Altíssimo nos concede a graça da contemplação e participação na entrega total de Jesus até a morte de Cruz. Com o Evangelho de João, a Liturgia nos introduz no momento do Lava-pés, que é o ponto culminante que vamos refletir nesse artigo.