Estamos no mês de setembro, para nós que habitamos o hemisfério sul do planeta, começamos a estação da Primavera. Embora vivamos as consequências do aquecimento global, com as indefinições das estações do ano, gostaria de começar nossa conversa amiga aproveitando daquilo que entendemos por estação da Primavera: estação das flores, do renascer, da beleza da natureza. Ao falar em flores, não podemos esquecer Maria, a Mãe de Jesus, como nos diz a canção que entoamos no Tempo Litúrgico do Advento: “Da cepa, brotou a rama, da rama, brotou a flor, da flor nasceu Maria, de Maria o Salvador”

A glória da Mãe é a glória dos filhos e entre os filhos de Maria Santíssima temos o primeiro lugar porque somos sacerdotes do seu Jesus. (…) Por isso, não devemos ser o segundo nesta manifestação solene para nossa amada mãe. Devemos também ser os primeiros entre os seus filhos, os primeiros na exultação, os primeiros na alegria mais sincera, os primeiros na sua celebração, na sua exaltação, na ampliação das suas intercessões, no seu canto de louvor.

Permita-me extrair uma fagulha de tão rico texto, está fagulha chama-se Maria, que alguns a identificam nesta perícope como grande sinal (Is 7,14), e como em Isaías aqui também ela indica Jesus, o Deus Conosco, ao dizer “fazei tudo que Ele vos disser” (Jo 2,5). No entanto São Luiz ressaltou-a ao descrevê-la, “Foi por intermédio da Santíssima Virgem Maria que Jesus veio ao mundo, e é também por meio dela que ele deve reinar no mundo” (Tvd, n 1). 

Venerando Maria Santíssima, como um modelo de total entrega e doação a Deus, neste momento de reflexão, meditaremos sobre o Sim de Maria na anunciação, A Mãe e Rainha de todo chamado deu um Sim incondicional e total! A partir da Anunciação, Ela dedicou toda a sua vida, para realizar a missão que Deus lhe confiou! Por isso, contemplando o exemplo de Maria, somos convidados a imitar a postura da humilde serva do Senhor, para que assim possamos seguir Cristo mais perfeitamente! Escutemos o evangelho da anunciação, no qual Maria coloca-se inteiramente nas mãos de Deus.