Palavra Amiga – Edição 2

Prezado leitor e leitora de Voz amiga,

   

  “O Coração Sacerdotal de Jesus reine sempre em nossos corações” (Pe. Mário Venturini).

 

            Padre Mário Venturini e o Sagrado Coração

            O nosso padre fundador, gostava sempre de iniciar seus escritos, sobretudo as exortações com esta frase. Penso que nada mais justo resgatá-la para este número de Voz Amiga, que trata sobre o tema do Sagrado Coração de Jesus.

            Na espiritualidade do Sagrado Coração de Jesus, fonte inexaurível de amor, encontramos uma riqueza muito grande. De fato, vários santos, santas, pessoas místicas que desenvolveram um aspecto característico do Coração de Jesus, procuraram cada um ao seu tempo responder uma atenção particular do Sagrado Coração, expressando assim o cuidado que Jesus tem para com todos que o procuram de coração sincero.

            Pe. Mário Venturini desenvolveu o aspecto da atenção de Jesus para com os seus apóstolos; aqueles aos quais não chamava mais de servos, mas de amigos (cf. Jo 15,15). Jesus ama sempre a humanidade inteira. Quer revelar através do Seu Coração os projetos de misericórdia e mansidão a todos nós e quer que vivamos também imersos nas profundezas do seu amor.

            O nosso pai fundador no seu grande amor pelo Sacerdócio de Cristo e também pelo sacerdócio ministerial desde o tempo em que era seminarista da Diocese de Chioggia (Itália), não conseguia entender que um cristão leigo amasse mais a Jesus, do que os padres, pois estes foram chamados de amigos por Jesus e o próprio Cristo os fez conhecer tudo o que o Pai lhe havia revelado.

 

            O Sacerdote e o Coração de Jesus

            O Coração de Jesus é Sacerdotal por estes e certamente tantos outros motivos. O Senhor antes de concluir a missão que o Pai lhe havia confiado, que tem o seu cume em sua morte e ressurreição, ou seja, a salvação à todos aqueles que se abrem ao Amor e acolhem este dom gratuito de salvação, quis formar e preparar os apóstolos (hoje pensamos os padres) para que eles continuassem esta missão até o fim dos tempos, através da pregação e anúncio da salvação por meio do mesmo Senhor Nosso Jesus Cristo.

            Sem dúvida, a metodologia que Jesus utilizou nesta preparação pode ser sintetizada em um verbo: amar (conjugado em todos os tempos verbais). É somente na ótica do amor, que podemos entender que Jesus passou fazendo o bem a tantas pessoas, revelando-se como Caminho seguro que nos leva ao Pai (cf. Jo 14,6).

            Participando desta missão os apóstolos e consequentemente os bispos (o Papa como chefe do colégio episcopal), os sacerdotes e os diáconos – os Ministros ordenados – receberam e recebem tantas graças do mesmo Coração Sacerdotal de Jesus ao ponto de serem chamados pela vocação recebida a serem “outro” Cristo entre os Homens e agem de fato na “pessoa de Cristo”: “Já não sou eu quem vivo, mas Cristo é quem vive em mim!” (Gal 2,20).

            Isso exige uma vida de intensa comunhão com este Coração que só sabe amar. Desejamos e rezamos para que os nossos padres possam fazer de suas vidas um reflexo vivo deste amor para com todas as pessoas que o Senhor confiar a eles no pastoreio.

 

            Coração de Jesus símbolo do Amor

           O coração é usado normalmente como símbolo do amor. É comum entre nós expressarmos o coração com o gesto de nossas mãos, e de tantas outras formas; tudo isso serve para simbolizar aquilo que sentimos diante de alguém que amamos e que é importante para nós. Necessitamos de gestos, sinais, símbolos para expressar os nossos sentimentos, até mesmo aqueles mais profundos que nascem dentro do nosso ser.

          Cristo Jesus expressou o seu amor mais profundo doando a vida na cruz pela humanidade e vencendo a morte para dar-nos a vida eterna: “Não há maior prova de amor, do que doar vida pelo próximo!” (Jo 15,13).

          Doar a vida no amor, consumir a vida no e por amor, eis a missão de todos nós batizados, cristãos. De modo particular ainda mais os sacerdotes chamados a viver do amor do Coração de Jesus. Rezemos por todos os sacerdotes, procuremos não os criticar, coloquemos todos eles no Coração de Jesus, lá é o lugar deles e não nas bocas maldosas de quem tenta “matar com a língua” os padres, disseminando intrigas e contendas desnecessárias.

          Precisamos ainda aprender muito sobre o doar a vida por amor que Jesus não só nos pediu, mas também deu o exemplo maior. Fixemos nosso olhar e nosso coração no Senhor Jesus, não aprenderemos certamente outra arte a não ser amar e doar a vida pelo Amor Maior, que depois se concretiza no amor ao próximo.

 

            Dia de Santificação Sacerdotal

            Tendo a possibilidade de celebrar mais uma vez a Solenidade do Coração de Jesus (neste ano: 19 de junho), dia de Oração pela Santificação Sacerdotal: aproveitemos para rezar por todos os padres, daqueles que nos são simpáticos, mas também por aqueles que nos são menos simpáticos. Talvez, devido ao covid-19, ainda não poderemos nos juntar em nossas comunidades paroquiais para dedicar esta jornada de Oração, diante de Jesus Sacramentado, como normalmente fazemos neste dia. Porém, mesmo que isso aconteça, nada e ninguém pode separar o nosso coração de Jesus. Nem mesmo o covid-19 tem poder de tirar a nossa fé, confiança e abandono em Deus. Lembremos sempre que tudo passa nesta vida, somente Deus, que é Amor, permanece...

           

            Coração Sacerdotal de Jesus, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso

          Se queremos de fato que o Coração de Jesus reine em nossos corações, precisamos fazer a passagem de despojarmo-nos de tudo aquilo que existe em nós e que ainda não entregamos ao Senhor. É preciso fazer a experiência. Quando digo tudo, é tudo mesmo! Também as nossas misérias humanas, nossas limitações, aquilo que ainda não está integrado em nós. Abandono total em Jesus, Ele espera o tudo de nós até ao ponto de esvaziarmo-nos totalmente. Isso causa dor, mas é uma dor que purifica, restaura e que nos refaz em novas criaturas: homens e mulheres novos, restaurados no amor do Coração de Jesus.

          Quero neste momento, lembrar de uma jaculatória que utilizamos habitualmente em nossas orações: Coração Sacerdotal de Jesus, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso. É a súplica à Jesus que fazemos, para que nós hoje amemos os sacerdotes com a mesma intensidade e fervor do Coração de Jesus, que continua amando os seus padres.

          Pe. Mário Venturini, em seu leito de morte, depois de ter consumado a sua vida por amor a Jesus e aos padres, nos deixou o testemunho do coração de um homem-sacerdote que amou até o fim de sua existência aqui neste mundo (e prometeu continuar do céu a rezar, amar e interceder pelos padres aqui na terra, enquanto houvesse um que precisasse de ajuda), repetia algumas jaculatórias, entre elas, destacamos: Doce Coração do meu Jesus, fazei que eu Vos sempre mais – foi a sua última oração-jaculatória.

          Faço votos que todos nós possamos amar e fazer amar com essa mesma intensidade que o nosso querido fundador testemunhou em sua vida. Se Pe. Venturini amou assim profundamente, é porque ele se sentiu amado pelo Coração de Jesus e aprendeu as mais belas lições que o amor nos ensina.

          Deus abençoe a todos vocês e boa caminhada na escola do Coração de Jesus!

       

 

Clique aqui para baixar este artigo em PDF

 

 

 

 

Padre José Antonio de Sousa, CJS.
Delegado do Superior Geral para o Brasil e conselheiro geral da Congregação de Jesus Sacerdote.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Revista Online Edição 2 PDF

sex jun 26 , 2020
Revista Voz Amiga 1ª Edição - PDF. Acesse nosso site e inscreva-se para receber nossos post novos. Revista Voz Amiga, Congregação de Jesus Sacerdote.
%d blogueiros gostam disto: