Palavra Amiga – Edição 2 Ano 2021

Revista Voz Amiga | Volume 31 | Nº 2 | Ano 2021

 

 

 

São José: Pai, Protetor e Provedor

da Congregação de Jesus Sacerdote.

 

 

 

Meus irmãos e irmãs leitores de Voz Amiga:

 

A todos e todas, a minha saudação amiga e fraterna!

 

            Com a Igreja presente no mundo inteiro, celebremos o ano de São José. Este ano dedicado ao “Pai e Provedor da Sagrada Família” (assim rezamos todas as quartas-feiras em nossas comunidades da Congregação no Brasil), foi iniciado no dia 08 de dezembro de 2020 e se concluirá no próximo dia 08 de dezembro de 2021.

O ano de São José e o Papa Francisco.

            O nosso Papa Francisco declarou o ano de São José para celebrar os 150 anos da declaração do Esposo de Maria como Padroeiro da Igreja Católica, título este dado pelo Papa Pio IX com o decreto “Quemadmodum Deus” assinado em 08 de dezembro de 1870.

            Vale a pena destacar a devoção que o nosso Papa Francisco tem para com São José. O início oficial de seu ministério petrino foi mesmo no dia 19 de março de 2013 (celebração litúrgica do Padroeiro Universal da Igreja). Em seu escritório há uma imagem de São José dormindo, a qual Francisco coloca, por escrito, debaixo desta imagem, as preocupações para com a Igreja no mundo inteiro.

            Ouvimos e ouviremos muitas coisas a respeito deste ano que procuramos viver antes de tudo em comunhão e harmonia com o Santo Padre e com a Igreja. Isto nos dá a possibilidade de ampliarmos ainda mais a nossa devoção para com o pai putativo de Nosso Senhor Jesus Cristo.

São José e a Congregação de Jesus Sacerdote

            O nosso fundador, Pe. Mário Venturini, teve uma grande devoção para com São José. Sempre recorreu a ele, como guardião dos consagrados, provedor da Sagrada Família de Nazaré, padroeiro da boa morte. De fato, temos várias orações na história não só da nossa Congregação de Jesus Sacerdote, mas também do cristianismo de modo geral, que invocam São José com as suas proteções nas diversas áreas da realidade humana, pedindo auxílio e proteção através da sua gloriosa intercessão.

            Percebamos como essa súplica a São José marcou a vida de tantos santos e santas da Igreja. Basta olharmos a vida deles e a grande parte, foram homens e mulheres que receberam uma vocação particular para fundarem alguma Obra na Igreja: são os fundadores e fundadoras de congregações e institutos religiosos.              

            O fato de o Papa Francisco colocar sob a imagem de São José dormindo as suas preocupações com a Igreja, me faz recordar Pe. Venturini, que colocava “as necessidades do pequeno rebanho” (assim, nosso fundador, chamava a “Obra” que Deus lhe havia confiado de fundar na Igreja) também sob a imagem de São José (em sua época ainda não tinha sido difundida a devoção a São José dormindo). Temos a graça de ouvir de nossos irmãos que conheceram e conviveram com Pe. Mário Venturini os vários relatos da providência de São José que sempre socorreu a nossa Congregação e também das nossas Irmãs.

Casa de Trento – Itália

            Na casa Mãe da Congregação em Trento (Itália), onde Pe. Venturini viveu a maior parte de sua vida, ele mesmo fez construir uma capela no jardim da casa, dedicada a São José pelo fato desta nossa casa não ser atingida pelas bombas durante a Segunda Guerra Mundial. Vale a pena lembrar que Trento, quase divisa com a Áustria, foi cenário de grandes bombardeios.

            Um belo crucifixo que permanece no corredor que leva a capela ferial em nossa mesma casa de Trento, foi adquirido, segundo a intercessão de São José. Pe. Venturini havia visto este grande crucifixo e o teria desejado comprar, mas, não tinha dinheiro suficiente. Pe. Oscar (já falecido), era o ecônomo na época; ele foi testemunha ocular deste fato. Dizia Pe. Oscar, que o valor que precisava para pagar este crucifixo, foi encontrado em um envelope sobre a mesa. Coincidência? Providência.

            Providência adquirida através da intercessão de São José.

            Tudo isso ainda, sem dizer que Pe. Mário Venturini fez a sua Páscoa definitiva na véspera de São José do ano de 1957. Como encontramos em um ou outro livro de sua biografia: “São José, o quis perto de si, no céu, no dia de sua festa”!

            Certamente temos uma “riqueza” muito grande de fatos acontecidos (na Igreja e em nossa família religiosa), que devemos a intercessão de São José. São acontecimentos incalculáveis. Acredito que muitos teriam muito a dizer sobre fatos nos quais São José esteve ou está presente.

A paternidade espiritual: Com o coração de Pai.

            No ano de 2009 – 2010, a Igreja celebrou o Ano Sacerdotal. Naquela ocasião foi pedido pelo então Papa Bento XVI às mulheres, de modo particular as de vida consagrada, que assumissem a maternidade espiritual pelos sacerdotes. E muitas mulheres de boa vontade, acolheram o pedido do Papa na época.

            Neste ano dedicado a São José, não tem nada ainda oficial (pelo menos até o momento!) da parte da Igreja pedindo que também homens de boa vontade, assumam uma espécie de “paternidade espiritual” para com os sacerdotes. E que tal, você, amigo leitor de nossa Revista online, pudesse assumir esta missão?

            Assim como São José, foi pai, provedor da Sagrada Família de Nazaré, você também poderia ser o “pai espiritual” de um sacerdote. Não é só preocupar-se das realidades materiais, que possam vir em socorro aos padres, mas também e sobretudo das necessidades espirituais. O pai é aquele que se preocupa para que o filho esteja bem e oferece meios para isso. Já pensou em adotar um sacerdote como filho espiritual? Se ainda não pensou, comece a pensar…

            Ser pai, além de cuidar e proteger, é amar sem precedentes. O sacerdote, por si é pai também. Todos nós padres, desenvolvemos a nossa paternidade espiritual no exercício de nosso ministério. Mas como seres humanos necessitamos também de pessoas que nos ajudem a crescer em nossa vocação e missão. A proximidade de pessoas que nos ajudem numa amizade profunda e verdadeira pode ser também expressão de uma paternidade espiritual, na qual nós padres exercemos, mas que também outros podem desenvolver em relação a nós sacerdotes.

São José e o cuidado com a Vida.

            Que a atitude simples e discreta de São José nos ajude a vivermos a nossa vocação específica e a vocação comum, a paternidade que todos de uma forma ou outra somos chamados a desempenhar. O verbo cuidar seja uma constante em nossas vidas para que assim, amando-nos uns aos outros possamos também cuidar uns dos outros. Como ouvimos com frequência: “Quem ama, cuida”!

            Recorremos mais uma vez a intercessão de Maria Santíssima, neste mês de maio ao qual recordamos a sua presença materna em nossa caminhada. Do mesmo modo, recorremos à São José, pai do Senhor Jesus. Somos felizes, protegidos e abençoados, pois temos um pai e uma mãe que olha para nós o tempo todo e temos o Nosso Irmão Maior, Nosso Senhor Jesus Cristo que caminha também conosco, dando-nos a certeza de sua presença em nossas fadigas e dificuldades.

 

            São José, rogai por nós!

 

            Boa caminhada, sobre a proteção de São José para todos e todas!

 

       

 

Clique aqui para baixar este artigo em PDF

 

 

 

Padre José Antonio de Sousa, CJS.
Delegado do Superior Geral para o Brasil e conselheiro geral da Congregação de Jesus Sacerdote.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Missão Vocacional - A sinodalidade da Obra

dom maio 23 , 2021
Sinodalidade é a capacidade de caminhar mais longe não estando só, é caminhar juntos, ou melhor, construir o caminho juntos. A Obra do padre Mário Venturini não hesitou em responder a esse convite do Papa Francisco.
%d blogueiros gostam disto: