A importância da devoção à Virgem Maria pelo seminarista

 

Portanto, a força de Sua maternidade quer arrastá-los para Jesus, e ajudálos a conformar vossas vidas à de Jesus.

 

 

          Fazei tudo que Ele vos disser (Jo 2,5)

Imagem divulgação

          Permita-me extrair uma fagulha de tão rico texto, está fagulha chama-se Maria, que alguns a identificam nesta perícope como grande sinal (Is 7,14), e como em Isaías aqui também ela indica Jesus, o Deus Conosco, ao dizer “fazei tudo que Ele vos disser” (Jo 2,5). No entanto São Luiz ressaltou-a ao descrevê-la, “Foi por intermédio da Santíssima Virgem Maria que Jesus veio ao mundo, e é também por meio dela que ele deve reinar no mundo” (Tvd, n 1).  

          Por tais, evidências, o seminarista deve caminhar pelas estradas de Jesus através das intervenções de sua Santíssima Mãe. Por conseguinte, a necessidade de mergulharmos em Deus, através dela, é por ser uma Mulher sensível às aptidões Divinas, sensível à Vontade de Deus! Nas Bodas de Canã, percebemos que a intimidade que ela tem com Deus, nos garante a percepção das nossas necessidades. Assim aqui Maria é sensível a duas realidades.

  • A necessidade dos noivos
  • O desejo de Deus, em atender à necessidade daquela futura família, mesmo não sendo a sua hora.
Foto: Salim Wariss / Círio de Nazaré em Belém do Pará

          Por isso, é fundamental buscarmos sua intercessão. A devoção à Santíssima Mãe de Jesus é fundamental para a caminhada do futuro filho predileto dela.

          A espiritualidade da Congregação de Jesus Sacerdote, evidencia que um grande ato da Virgem Maria ao dizer que “a Vossa maternidade chamou-vos perto da cruz, para unir-vos, de forma singular […]” ao falar da Virgem Santíssima aos pés da Cruz. Portanto, a força de Sua maternidade quer arrastá-los para Jesus, e ajudá-los a conformar vossas vidas à de Jesus.

          Por conseguinte, na Igreja Católica temos mais de 28.000 santos e todos eles foram marianos fervorosos, mas quero ressaltar um que celebramos a pouco na Igreja, no dia 14/08. São Maximiliano Maria Kolbe padre polonês, O.F.M Conv. Fundador da Milícia da Imaculada.

          Ele em uma de suas tantas necessidades, foi aos pés de uma imagem da Virgem Maria implorando sua intercessão, Milagrosamente a Imagem abriu suas mãos e pediu que escolhesse uma daquelas duas coroas que lhe aparecera nas mãos. Uma coroa era vermelha e a outra branca. Enfim, ele escolheu as duas, a vermelha representava o martírio e a branca a pureza. Ele foi mártir e puro por ser celibatário.

Arquivo pesssoal da Congregação de Jesus Sacerdote

          Aqui vemos, a misteriosa intercessão da Virgem na vida de seus santos sem perder a finalidade da devoção que é, configurar-se à Jesus Cristo.

          Por fim, toda devoção deve ter três atos:

  • Conhecer a vida de seu santo (a) profundamente
  • Imitá-lo (a)
  • Venerá-lo (a), fazendo atos de veneração.

 

 

Clique aqui para baixar este artigo em PDF

 

 

Ir. Ronaldo Teles da Cruz, CJS. 
Religioso na Congregação de Jesus Sacerdote, e estudante de teologia no Centro Universitário Salesiano de São Paulo, UNISAL, 7º semestre.

 

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

Maria e o Mistério da Cruz

qui set 17 , 2020
Quando voltamos o nosso olhar para contemplarmos Maria na sua relação com o mistério da cruz não podemos deixar de considerar a cruz como sinal de redenção. O mistério da cruz tem como efeito a ação salvífica e redentora. Maria é a Mãe do Redentor.
%d blogueiros gostam disto: