O Sagrado Coração de Jesus e o sacerdote

          No próximo dia 19 de junho, celebraremos, se Deus quiser, em comunidade, a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus (segunda sexta-feira após a solenidade litúrgica da Santíssima Trindade), bem como o dia de santificação dos sacerdotes.

          É uma solenidade muito significativa, que traz o simbolismo rico do coração. Jesus, o Filho de Deus, enquanto verdadeiro homem, tinha um coração com sentimentos e emoções, como nós temos; e experimentou os afetos do coração materno e paterno, dos parentes e amigos e, também a dor dos afetos feridos, como na traição de Judas. O Filho de Deus compartilhou a experiência da nossa natureza humana, na sua forma mais genuína, sem desvios ou expressões desordenadas.

          Mas é ainda mais admirável pensar que o coração humano do Filho de Deus, unido a Deus Pai por um único e infinito amor, é para os sacerdotes a expressão humana do amor de Deus, que não amou apenas com um amor espiritual, mas com afeto humano. O Sagrado Coração de Jesus é o ícone desse amor divino e humano de Deus. Isso significa também que as expressões genuínas dos afetos, sentimentos e emoções do amor humano foram elevadas e dignificadas infinitamente. Com certeza, foi isso que o evangelista São João quis dizer, ao afirmar: “o amor vem de Deus e quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor” (1Jo 4,7-8)

          Na solenidade do Sagrado Coração de Jesus somos interpelados a contemplar a dimensão sacerdotal de Jesus e a vermos em cada sacerdote a manifestação do amor infinito de Deus e da sua misericórdia sem limites, que se deu de modo máximo na entrega do Filho sobre a cruz: “Deus tanto amou o mundo, que lhe entregou seu Filho único, para que não pereça todo aquele que nele crer, mas tenha a vida eterna” (Jo 3,16). O coração sacerdotal de Jesus, aberto pela lança, do qual saem sangue e água (cf. Jo 19,34) nos fala do coração paterno de Deus, sempre aberto para acolher o próximo que, com efeito, é expresso também na pessoa de todo sacerdote. O sangue e a água que brotam do coração aberto de Jesus lembram a vida em plenitude oferecida aos homens que se achegam a essa fonte inesgotável de misericórdia, perdão e graça que são possíveis também pelos sacramentos exercidos pelo sacerdócio ministerial.

          Nesta solenidade do Sagrado Coração de Jesus que celebramos com tanta devoção, voltemos o nosso olhar para todos os sacerdotes e vejamos com mais consciência que o exercício do sacerdócio é tarefa de amor, realizada mediante a dedicação amorosa da vida ao serviço de Deus e dos irmãos. Longe de ser uma profissão, como tantas outras, o sacerdócio é uma consagração de vida, por amor e não por outra razão.

          O sacerdócio possui estreita relação com o Sagrado Coração de Jesus, e no exercício do seu ministério, são chamados a se inspirar no Coração de Cristo, Bom Pastor e Bom Samaritano da humanidade. “Dar-vos-ei sacerdotes segundo o meu coração” (Jr 3,15), anunciou Deus através do profeta Jeremias e pela boca de Ezequiel, reprovou os maus pastores, que descuidaram do rebanho e só pensaram no próprio interesse e não no bem das ovelhas (cf. Ez 34).

          Os sacerdotes, ministros de Cristo e da Igreja, devem ser esses pastores segundo o Coração de Deus e o Coração sacerdotal de seu Filho Jesus Cristo. Através deles, Deus quer continuar a amar humanamente as pessoas e a lhes mostrar, de maneira humana, os sentimentos e afetos do seu divino coração. De fato, o sacerdote é chamado a ser uma imagem sacramental desse amor divino. Essa missão alta só pode ser exercida mediante a comunhão e a sintonia íntima com o coração de Deus e de Cristo e também pela nossa oração pela sua santificação.

        Dessa forma, na solenidade do Sagrado Coração de Jesus, a Igreja e, em especial a Congregação de Jesus Sacerdote, nos convidam a rezarmos especialmente pela santificação dos sacerdotes, a fim de que possam exercer o seu ministério de maneira digna e santa, uma vez que são consagrados para as coisas santas em favor dos seus irmãos. Ser sacerdote segundo o coração de Deus e de Jesus é missão que vai além das capacidades humanas.
Que a graça do Espírito Santo de Deus os capacitem para exercerem seu ministério!

 

Clique aqui para baixar este artigo em PDF

 

 

 

André Carlos Morais Carvalho
Teólogo, Noviço da Congregação de Jesus Sacerdote.
andrecarlosm.carvalho@gmail.com

 

 

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

A Voz do Fundador - Edição 2

sex jun 19 , 2020
Escrevo estas linhas na Capela onde o S. Coração de Jesus se dignou revelar-se à sua esposa Predileta S. Margarida Maria, o corpo dela está a poucos passos, à minha direita, assim que com um só olhar abraço o Tabernáculo e o Altar da Santa tão felizarda.  Celebrei de manhã a S. Missa ao Altar das aparições e ontem e hoje passei um pouco de tempo aqui perto do Senhor. (...)  
%d blogueiros gostam disto: